Mantendo a forma em tempos de pandemia

The following two tabs change content below.
Por Fábio Velame - fabio@gvesportes.com.br

Os atletas Felipe Augusto (atacante do América Mineiro), Lucas Venuto (meia-atacante do Santos) e João Dutra (lateral-esquerdo/meia da equipe sub-20 do Avaí) aproveitam as férias forçadas em Governador Valadares para cuidar da preparação física.

João Dutra, Felipe Augusto, Gessimar Martins e Luca Venuto após uma atividade realizada no campo da Liga (foto: Fábio Velame/GV Esportes)

A pandemia do COVID-19 modificou a rotina do mundo em todos os aspectos, e o futebol também foi afetado, como não poderia ser diferente. Com os jogos paralisados, atletas de todos os clubes do Brasil e mundo afora receberam “férias forçadas”.  Em Governador Valadares, três jogadores tentam manter a forma física nesse período de quarentena. Os atacantes Felipe Augusto (América Mineiro) e Lucas Venuto (Santos) e o lateral-esquerdo/meia João Dutra (sub-20 Avaí) contam com o suporte do preparador físico Gessimar Martins (Treinamento Funcional Bruno Botelho) para esse tipo de trabalho.

Gessimar Martins conta sobre esse período de atividades com os três atletas em Governador Valadares. “Nesse tempo de quarentena temos trabalhado em duas ou três dias por semana. Começamos com um trabalho de força no estúdio Bruno Botelho. De agora até o fim do mês, também faremos atividades em campo, pois são jogadores de futebol, sendo importante esse contato com a bola é impo. Eu trabalho de acordo com as características de cada atleta. O Felipe Augusto e o Lucas Venuto eu já conheço há 3 anos e sempre trabalho com eles no período de férias. Esse ano tenho o feedback do preparador físico do América, o Jonas, que trabalha com o Felipe Augusto e me dá um direcionamento sobre o que executar para o atleta se apresentar bem quando voltar. O João é a primeira vez que trabalho com ele, mas eu já sabia das características dele, é canhoto e tem muita força. Fiz uma anamnese no começo para ter uma ideia de como realizar as atividades com ele”, disse.

Felipe Augusto reconhece a necessidade da quarentena, mas explica que essa pandemia quebrou o ritmo que estava sendo adquirido no começo de temporada. “Estávamos no início de temporada e começando a entrar em um ritmo bom. Veio a pandemia e o futebol teve que parar. Sabemos que essa situação de quarentena é para o bem de todos, mas como a gente brinca, não podemos deixar a ‘máquina parar’, por isso tenho esse auxílio do Bruno Botelho e Gessimar Martins nesse trabalho para estar bem fisicamente quando retornar”.

O atleta valadarense chegou ao América Mineiro na temporada 2020. Apesar de revelar um pouco de dificuldade no começo, ele está esperançoso quando voltar. “O início de temporada para mim foi um pouco complicado, individualmente falando. Demorei um pouco para me encaixar, mas conseguir evoluir e mostrar o meu futebol. Infelizmente teve essa parada, mas a expectativa é voltar firme na mesma forma”.

Felipe Augusto no treino de movimentação e finalização realizado na último sábado (18) no campo da Liga (foto: Fábio Velame/GV Esportes)

Lucas Venuto destaca que o momento é mesmo de preservar a saúde, mas sem esquecer de manter a forma. “Temos que nos cuidar, a decisão foi tomada e acatamos da melhor forma possível. Tento me manter com treinos para não sentir tanto quando voltar a normalidade. Graças a Deus tem uma estrutura boa no estúdio do Bruno Botelho. Particularmente fico feliz em ter acesso a esse tipo de trabalho e ter condição de me preparar bem”.

No Santos desde o mês de agosto de 2019, Lucas Venuto está focado para ter mais chances de jogar. “Eu ainda não consegui engrenar uma sequência de jogos, mas venho trabalhando bastante. Creio que a oportunidade vai aparecer”.

Lucas Venuto e João Dutra em uma atividade de agilidade acompanhada por Gessimar Martins (foto: Fábio Velame/GV Esportes)

João Dutra está no Avaí há quatro anos, depois de jogar no Filadélfia e no Coopevale. O jovem atleta de 17 anos ressalta a oportunidade de trabalhar a parte física nesse tempo de pandemia. “Esse trabalho é muito importante pois para um jogador não é bom ficar parado. A gente tem que fazer algo para não relaxar e voltar em um nível bom”.

Sobre o tempo no clube catarinense, João Dutra tem aproveitado a oportunidade. “O início foi difícil, pois sair de casa com 13 anos e ficar longe da família é complicado. Fazer o que a gente gosta ajudou bastante. Com o tempo também fui desenvolvendo amizades que contribuíram para a minha adaptação. A experiência tem sido boa, disputei vários campeonatos. e isso aumenta a minha bagagem e a expectativa é seguir em constante evolução”.

João Dutra em trabalho com Gessimar Martins no estúdio Bruno Botelho Treinamento Funcional (vídeo: arquivo pessoal Gessimar Martins)

Perspectivas de retorno

Felipe Augusto ainda não tem previsão para voltar ao América Mineiro e aguarda o posicionamento do clube. Lucas Venuto tem retorno ao Santos marcado para o final do mês de abril, enquanto  João Dutra volta ao Avaí na primeira semana de maio.

……………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

Para compartilhar este conteúdo, por favor utilize o link na barra de endereço ou as ferramentas oferecidas na página. Todo o conteúdo publicado no www.gvesportes.com.br está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do site em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização do GV Esportes. (fabio@gvesportes.com.br)

 

Matérias relacionadas

Patrocinadores

error: Para compartilhar este conteúdo, por favor utilize o link na barra de endereço ou as ferramentas oferecidas na página. Todo o conteúdo publicado no www.gvesportes.com.br está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do site em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização do GV Esportes. (fabio@gvesportes.com.br).